HomeLimeiraPacientes e familiares recebem treinamento sobre sensor de glicemia

Pacientes e familiares recebem treinamento sobre sensor de glicemia

DATA

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Os pacientes e familiares que utilizam o sensor de glicemia disponibilizado pela Prefeitura de Limeira participaram nesta quarta-feira (22), no Espaço Elo, de um treinamento sobre o funcionamento do aparelho. A iniciativa integra um protocolo municipal implantado em 2022 pela Secretaria de Saúde, que disponibiliza o sensor para pacientes de 4 a menores de 18 anos com diabetes Mellitus tipo 1.

- Publicidade -

O secretário de Saúde, Vitor Santos, participou da abertura do treinamento. Ele conversou com os pacientes sobre o protocolo da prefeitura e explicou a importância do uso do sensor, que é menos invasivo que outros tipos de monitoramento, para facilitar o controle da doença. Além dos dados atualizados da glicose, o dispositivo fornece o histórico glicêmico das últimas 8 horas e uma seta de tendência da variação da glicose.

Semelhante a uma moeda de 1 real, o sensor é aplicado na parte superior do braço. Durante a aplicação, um pequeno filamento estéril e flexível é inserido sob a pele, passando a captar dados sobre o índice de glicose no sangue, a cada 1 minuto. O dispositivo fica grudado na pele, como um adesivo, e tem duração de 14 dias, quando, então, deve ser substituído.

“O sensor de glicemia é uma importante ferramenta para pacientes que enfrentam a diabetes e que permite reduzir as complicações causadas pela falta de controle da doença”, afirmou Vitor Santos. “Essa política pública integra o programa Limeira Ativa e Saudável do governo Mario Botion com o objetivo de oferecer mais qualidade de vida à população”, enfatizou.

PROTOCOLO

Para solicitar acesso ao programa, a gerente da Divisão de Assistência Farmacêutica, Deise Karla Almeida dos Santos Blanco, informa que a prefeitura criou um protocolo, que atende especificamente crianças de adolescentes de 4 a menores de 18 anos.

Além da idade estabelecida, é preciso apresentar, em linhas gerais, exames que comprovem a doença e encaminhamento médico emitido por especialista, no caso, endocrinologista da rede pública ou particular. O pedido deve ser levado até a Central de Medicamentos, localizada no Paço Municipal, na Rua Prefeito Dr. Alberto Ferreira, 179, no Centro. O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 15h.

A gerente salienta que o sensor é apenas uma ferramenta de monitoramento, sendo que o controle da glicemia cabe ao paciente. “Para seguir atendido pelo programa, a criança ou adolescente deve permanecer, pelo menos, 70% do tempo com a glicemia controlada”, ou seja, de 70 mg/dL a 180 mg/dL (intervalo alvo).

Por esse motivo, a Secretaria de Saúde acompanha o desempenho de cada paciente, analisando mensalmente os relatórios fornecidos pelo aplicativo do sensor, principalmente os dados referentes ao “intervalo alvo” e o número de leituras diárias da glicemia. “Caso os índices não estejam dentro dos parâmetros almejados, reforçamos as exigências do protocolo”, frisou Deise.



Informações PML

MAIS RECENTES

MAIS NOTÍCIAS